ACOMPANHE-ME NAS REDES SOCIAIS

CAS decide que aposentadoria não extingue contrato de trabalho

CAS decide que aposentadoria não extingue contrato de trabalho

Publicado no dia 10 de Agosto de 2017
Image

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) rejeitou nesta quarta-feira (9) uma emenda de Plenário a projeto que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) explicitando que a concessão da aposentadoria a pedido do trabalhador não rescinde o contrato de trabalho a qual ele estiver submetido no momento. Com a rejeição, o projeto (PLC 137/2015) retorna ao Plenário.

O relatório aprovado foi elaborado pelo senador José Pimentel (PT-CE) e lido na reunião pela senadora Fátima Bezerra (PT-RN). Pimentel explica que o objetivo do projeto é adequar a CLT ao que já foi decidido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ainda em 2006, a partir de uma ação direta de inconstitucionalidade movida por PT, PDT e PCdoB contra artigo introduzido na CLT em 1997.

O objetivo desses partidos na época, explica o senador, era derrubar a interpretação do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de que o trabalhador aposentado, mesmo que continuasse a trabalhar na empresa, não teria mais direito à multa de 40% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) referente ao período anterior à aposentadoria.

A emenda rejeitada foi apresentada pelo senador Elmano Férrer (PMDB-PI) para acrescentar na lei um parágrafo que explicita que a concessão de benefício de aposentadoria compulsória rescinde o contrato de trabalho.

“Esta hipótese não foi contemplada pelo PLC, até porque a Lei nº 8.213, de 1991, já estabelece a possibilidade de extinção do contrato de trabalho no caso da aposentadoria compulsória a pedido do empregador”, explica Pimentel do relatório aprovado pela CAS.

Fonte:
Senado Notícias

VEJA TAMBÉM

18/08/2017

Foi na Bahia, e foi histórico o primeiro dia do projeto Lula pelo Brasil, a viagem que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva começa nesta quinta-feira, 17, por 25 cidades do Nordeste, num...

18/08/2017

Com quase 12 anos desde a criação, a Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) vem mudando a vida da população nesta região do estado. É o caso da quilombola Miriam Feliciano de Barro, 44...