ACOMPANHE-ME NAS REDES SOCIAIS

Boletim de Rádio: Pimentel diz que fechamento de agências e demissões vão levar BB a prejuízo

REP: EM PRONUNCIAMENTO, NA TARDE DE QUINTA-FEIRA, VINTE E QUATRO DE NOVEMBRO, EM BRASÍLIA, O SENADOR JOSÉ PIMENTEL ALERTOU PARA AS GRAVES CONSEQUÊNCIAS DO PLANO DE REESTRUTURAÇÃO DO BANCO DO BRASIL, ANUNCIADO PELO GOVERNO TEMER. PARA PIMENTEL, O FECHAMENTO DAS 781 AGÊNCIAS E A REDUÇÃO DE ATÉ 18 MIL FUNCIONÁRIOS, EM TODO O PAÍS, SEGUE A MESMA LÓGICA NEOLIBERAL, DE PRIVATIZAÇÃO DE ESTATAIS, ADOTADA PELO GOVERNO DO PRESIDENTE FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, QUE RESULTOU EM PREJUÍZOS PARA O BANCO.

TEC (PIMENTEL 1): Este banco, que lá em 1822, a família real levou à falência, eu espero que essa elite que deu o golpe de estado nacional, não leve de novo esse banco a ter prejuízo, como teve em 95 e 96, no início do processo neoliberal do PSDB e do senhor Fernando Henrique Cardoso. 

REP: SEGUNDO PIMENTEL, EM 1995, O BANCO DO BRASIL APRESENTOU PREJUÍZO DE 4 BILHÕES DE REAIS. JÁ EM 1996, QUANDO MAIS DE 13 MIL BANCÁRIOS FORAM DEMITIDOS, O PREJUÍZO DO BB SUBIU PARA 7 BILHÕES E 500 MILHÕES DE REAIS. JÁ NO GOVERNO DO PT, O BANCO REGISTROU LUCRO, COMO EXPLICA PIMENTEL.

TEC (PIMENTEL 2): Durante os 13 anos do governo do Partido dos Trabalhadores, este banco teve lucro todos os anos. E, em 2013, teve o melhor resultado. Foi de 15 bilhões, 758. E, no ano passado, em que tivemos dificuldade política, econômica e social, esse banco deu um lucro de 14 bilhões e 400 milhões de reais. Ao mesmo tempo, nesse período dos 13 anos do governo do Partido dos Trabalhadores, não demitimos nenhum funcionário do Banco do Brasil.  

REP: PIMENTEL TAMBÉM APRESENTOU DADOS PARA MOSTRAR A IMPORTÂNCIA DO BANCO DO BRASIL PARA A ECONOMIA BRASILEIRA, ESPECIALMENTE OS PEQUENOS CORRENTISTAS, MICRO E PEQUENOS EMPRESÁRIOS E AGRICULTORES FAMILIARES. 

TEC (PIMENTEL 3): Esse banco, que lá em 2002, aplicou em torno de 300 bilhões em toda a economia brasileira, em 2015, ele finalizou com um ativo de um trilhão e 400 bilhões de reais. E isso é resultado de uma sociedade que tem clareza de que precisa dos bancos públicos para que, efetivamente, o crédito possa chegar na mão de quem necessita, porque, infelizmente, a rede privada não tem compromisso tão forte com a economia nacional.

REP:  O SENADOR PIMENTEL QUER DEBATER O PLANO DE REESTRUTURAÇÃO DO BANCO DO BRASIL, NA COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS DO SENADO. ELE APRESENTOU REQUERIMENTO PARA REALIZAÇÃO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA, COM A PRESENÇA DO PRESIDENTE DO BB, PAULO CAFFARELLI.

SIMONE TELLES, DIRETO DE BRASÍLIA